Programa: Ressocialização dos Presídios
[dropcap]U[/dropcap]m dos indicadores confiáveis para se medir o avanço civilizatório de uma sociedade humana é comparar o número de presídios com o número de escolas. Neste quesito nosso país não vai nada bem. O número de pessoas cumprindo sentença nos presídios brasileiros é de 543 mil. Mais grave ainda é saber que existem mais de 500 mil mandados de prisão expedidos que não podem ser cumpridos pela polícia simplesmente porque faltam vagas disponíveis em presídios, todos com superpopulação carcerária.

O sistema prisional brasileiro, salvo honrosas e raríssimas exceções custam muito caro e são considerados desumanos em suas condições internas. Funciona na maior parte dos casos como escola de aperfeiçoamento para o crime ao invés de permitir a recuperação do criminoso para sua futura reintegração à sociedade.    É  necessário transformar os presídios em oficina de trabalho, hospital e escola, onde o preso possa produzir para pagar não apenas seus custos mas também para indenizar aqueles  a quem vitimou. Também deve ser intensificado o processo de penas alternativas, tendo como foco principal a ressocialização do preso e não apenas aplicar a pena punitiva.

[raw] [clear] [/raw]