Programa: Educação Pela Paz
[dropcap]E[/dropcap]m plena era da comunicação instantânea via Internet, não há sentido algum em se manter padrões educacionais típicos da idade medieval. Depois da família, núcleo fundamental da sociedade humana é a escola o segundo núcleo mais importante. Todas as fases educacionais são relevantes mas é na fase inicial da educação infantil que as bases são definitivamente assentadas. Até os sete anos de idade o ser humano encontra-se totalmente receptivo às influências do meio, boas ou ruins. A escola não pode ser apenas um lugar onde se recebe instrução. Atualmente qualquer criança acessa com facilidade os recursos da informática e dispõe de ferramentas poderosas para obter instrução e conhecimento.

A escola do século XXI precisa tornar-se um polo dinâmico de interação social para a educação em plenitude, onde o indivíduo possa naturalmente reconhecer seu talento e sua vocação. Um sistema educacional que desrespeita o relógio biológico de cada um e que massifica conteúdos sem importar-se com a qualidade e com a individualidade não consegue cumprir sua principal missão voltada à educação pela Paz centrada em valores humanos. É preciso alterar o currículo oculto da escola que determina como finalidade educativa a preparação do estudante para que se transforme numa ferramenta qualificada para disputar mercado de trabalho, numa cultura de competitividade.

Na nova percepção de educação pela Paz, o currículo oculto se destina a outra finalidade muito mais abrangente : Preparar o ser humano para ser uma pessoa melhor no mundo. Nesta concepção nasce um novo modelo para a educação onde mais importante que desenvolver a excelência pedagógica é desenvolver a excelência humana. Nele as pessoas não aprendem apenas disciplinas. Aprendem a arte da cooperação num mundo onde há espaço para todas serem mais saudáveis, mais felizes, mais realizadas.

[raw] [clear] [/raw]