Novo partido tem lançamento nacional em Fortaleza: É o PAZ – Ativistas da Paz pela Vida
Ativistas da Paz

Ativistas da Paz

O Ceará, Terra da Luz, onde nasceram Dragão do Mar, Bezerra de Menezes e Dom Hélder Câmara, foi o estado escolhido para a fundação do Paz – Ativistas da Paz pela Vida. O primeiro passo para a criação do mais novo partido político brasileiro reuniu articuladores e convidados de nove estados (Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro, Goiás e Paraná) e mais o Distrito Federal, na manhã de sábado (4), no Colégio Darwin, em Fortaleza. Seus idealizadores ressaltam que ele nasce como um “movimento de despertamento de consciências para a força da paz”, entendendo a formação de um partido como um meio e nunca um fim.
No encontro em que foi assinada a ata de fundação do PAZ, foi escolhido para ocupar o cargo de presidente provisório do novo partido o engenheiro Luiz Bassuma (foto), histórico defensor da vida e da cultura da paz no cenário político nacional. Ex-deputado federal pelo PT da Bahia, Bassuma foi punido por seu antigo partido ao expressar sua posição em defesa da vida desde a concepção. Após a saída do PT, foi do Partido Verde e disputou, em 2010, o Governo do Estado da Bahia, ficando em quarto lugar.

Para tocar as fases de estruturação e oficialização do PAZ, também foram eleitos para a diretoria provisória: Robson Silva de Sousa, do Rio de Janeiro, para o cargo de Secretário Geral, e Juarecê Lordelo, da Bahia, como Tesoureiro. No encontro, foram apresentados ao público o Manifesto do PAZ e textos provisórios do Estatuto e do Programa do partido.

Ao apresentar o novo partido, Bassuma enfatizou que o conceito de paz “envolve coragem e verdade” e não passividade. Um vídeo sobre pacifistas como Gandhi, Martin Luther King, Dom Hélder Câmara, Nelson Mandela e Einstein inspirou os presentes. Bassuma lembrou que as idéias desses personagens históricos, bem como as de Jesus Cristo, foram consideradas utópicas. Mas a atuação de cada um deles para melhorar o mundo em que vivemos foi contagiando um e outro e mudanças e quebras de paradigmas se concretizaram. “Somos aprendizes de pacificadores”, disse. Num mundo em crise de valores, ele acentuou que o novo partido nascerá tendo como base três pilares: a Paz Social, a Paz Ambiental e a Paz Interior.

Luiz Bassuma

Luiz Bassuma

Valores éticos

Como está detalhado no Manifesto do PAZ, Bassuma destacou que a “a paz social fala de educação pela Paz, fala de saúde preventiva e integral numa visão holística, de políticas públicas preventivas para a segurança humana, como o desarmamento”. Sobre a Paz Ambiental, referiu-se ao desenvolvimento sustentável e a uma nova economia que não é baseada só no PIB. “O PAZ defende o FIB”, disse Bassuma, sobre o conceito de Felicidade Interna Bruta.

Para quem ainda não sabe, o FIB é um conceito que surgiu no Butão, país, asiático, e ganhou atenção da ONU e de economistas renomados, como o Joseph Stiglitz, Prêmio Nobel de Economia (2001). A partir daí, diversos países do mundo, incluindo o Brasil, passaram a desenvolver estudos sobre FIB, cuja proposta central é avaliar o progresso de uma nação levando em consideração não só aspectos econômicos, como o padrão de vida, mas outras oito dimensões como vitalidade comunitária, bem-estar psicológico, gestão do tempo, saúde, educação, cultura e boa governança, respeito ao meio ambiente. “A ONU já aprovou e até no Fórum Econômico Mundial em Davos já foi gente falar sobre FIB”, lembrou Bassuma.

Sobre a Paz Interior, o Manifesto do novo partido declara não falar de religião e sim de “religiosidade que remete a uma espiritualidade que está além dos templos e das tradições. Fala de valores morais, da ética, da verdade, do respeito às diferenças, buscando transcender racionalmente os limites acanhados do materialismo. Serão bem-vindas pessoas de todas as tradições, assim como os agnósticos; que não professam religião nenhuma”.

Programa provisório

O Programa provisório do PAZ reúne os seguintes pontos: Paz no mundo a partir do indivíduo; Cultura de Paz e Não Violência; Defesa da vida desde a concepção; Educação pela paz; Saúde Integral; Uma nova Economia; Uma nova organização mundial; Preservação do planeta; Água como fonte de vida; Energia limpa, segura e sustentável; Direitos Humanos e Sociais; Segurança Humana; Desarmamento; Ressocialização de presídios; Enfrentamento às drogas líticitas e ilícitas; Produto e consumo ecologicamente corretos; Enfrentamento à corrupção e à lavagem de dinheiro; Desburocratização; Meritocracia; Voto Facultativo; Fim do voto secreto e do voto destituinte; Eleição para o Judiciário.

Próximos passos

O Estatuto e programa propostos pelos articuladores para o novo partido, assim como a ata de sua fundação, serão registrados em Cartório do Registro Civil em Brasília esta semana. Depois disso, começa uma fase desafiante: a busca por 500 mil assinaturas de eleitores de pelo menos nove estados do País para que o partido possa obter o registro definitivo junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Até um ano após o OK do TSE, o PAZ deverá realizar o seu Primeiro Congresso Nacional, quando o Estatuto e Programa serão amplamente discutidos e aprovados. Para, então, estar apto a disputar uma eleição. Bassuma diz que, como partido político, o PAZ vai concorrer a uma eleição, mas quando isso vai acontecer não é o relevante agora.

Como está no programa do partido: “Sua missão não se resume apenas em se constituir numa alternativa política limpa. É antes de tudo um Movimento de Iluminação de Consciências. Suas expectativas não deverão se limitar a vencer eleições e realizar bons governos. Elas ultrapassam esses limites necessários, mas insuficientes para se fixarem no processo, na caminhada, na travessia rumo a um estágio mais evoluído dessa nossa civilização”.

Fonte:  Agência da Boa Notícia