Movida completa cinco anos ampliando ações em favor da vida e não violência

Ao completar cinco anos, o Movida – Movimento em Favor da Vida, associação sem fins lucrativos criada sediada em Fortaleza, soma êxitos como referência nacional entre os movimentos pró-vida e se prepara para novos desafios. Ampliar as ações está nos planos da entidade que apresenta duas novidades: Passa a se denominar Movida – Movimento Pela Vida e Não Violência e acaba de eleger nova diretoria. No último dia 11, o presidente Fernando Lobo passou a liderança da entidade para Karla Cruz Montenegro, que assume o cargo de coordenadora geral, de acordo com o novo estatuto. Ela tem 22 anos e é estudante do Curso de Direito da Universidade Federal do Ceará.

“Conheci o Movimento a partir do convite de um amigo. Ambos nos interessávamos pela causa pró-vida e não sabíamos como atuar”, conta. Karla diz que o Movida chamou sua atenção pelo caráter suprapartidário e suprarreligioso , “unindo pessoas diferentes numa mesma causa”. Para ela, Fortaleza se tornou uma das capitais “mais pró-vida do Brasil” desde que o Movida passou a ser mais atuante.

Consciente, ela reconhece que, como dirigente de um movimento que defende a vida desde à concepção até a morte natural, enfrentará desafios. “Os maiores obstáculos são os interesses e o poder de quem quer promover a cultura de morte, especialmente no que diz respeito à liberação do aborto. Políticos, parte da mídia e grupos internacionais estão comprometidos a implementar o aborto no Brasil. Atualmente o perigo maior está no Novo Projeto do Código Penal que aumentará o rol de excludentes de ilicitudes para a prática abortiva”, afirma.

A nova diretoria do Movida está composta por Karla, na Coordenação Geral; Fernando Antônio Lobo Marques (Coordenador Administrativo e Financeiro), Marília Bitencourt Campos Calou, (Coordenadora Institucional); Marcel Pinheiro de Carvalho Silva (Secretário Geral); e Luis Eduardo Granjeiro Girão (Coordenador de Comunicação Social).

As primeiras ações da nova diretoria, segundo Karla, são organizar a próxima Marcha pela Vida com antecedência e com um maior preparo e começar a concretizar o Projeto Chama, com o objetivo de “amparar  pessoas que optam por abortar, persuadindo-as de que a vida é a melhor opção”.

Balanço positivo

Em rápido balanço, sobre a trajetória do Movida, Fernando Lobo declara: “inúmeras ações, ao longo desses cinco anos de existência, nos deixam bastantes felizes. Entre elas podemos destacar: As campanhas ‘A Vida Depende de Seu Voto’, quando, por duas eleições seguidas conseguimos levar para o certame eleitoral a discussão sobre o aborto; a denúncia ao Ministério Público do Ceará que resultou no fechamento da maior clínica de aborto clandestino do Estado, responsável, segundo as evidências, por quase 40 mil abortos; e a exposição Expovida, mostrando o contraste entrevVida e morte, que circulou pelas principais capitais do norte e nordeste do Brasil”.

Ele destaca ainda “a mobilização social, que a partir de uma ação concreta do Movida resultou na derrota, na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e Comissão de Seguridade Social (CSS), da Câmara dos Deputados, de proposta de aprovação do aborto”. Mas os desafios continham e é preciso continuar a promoção da vida, principalmente, através dos meios de comunicação. O ex-presidente da entidade destaca que essa atuação na mídia, segundo ele, colabora para “sensibilizar a sociedade quanto a gravidade do crime que é o aborto”.

Outras ações do Movida que ganharam repercussão na sociedade foi a Marcha pela Vida, contra o aborto, e outros atos públicos. O mais recente, foi em 23 de março, último em protesto à Circular do Conselho Federal de Medicina, favorável a ampliação de casos em que o aborto pode ser legalizado. O Movida realizou protesto em frente à Conselho Regional de Medicina do Ceará porque, entre as propostas da entidade nacional, a ser encaminhadas pelo CFM à comissão do Senado Federal, que discute a reforma no Código Penal, é que o aborto seja legal até 12ª semana da gestação.

Para Fernando Lobo, o fato de o Movida estar atuante por cinco anos mostra que a entidade ganha o respeito da sociedade. Ele enfatiza que Movimento é  referência pró-vida em todo país, sendo sempre contatado pela imprensa de todo o Brasil, principalmente Rio e São Paulo, quando o tema aborto entra em pauta.  “Tudo isso por que construímos uma imagem de seriedade, de respeito aos que pensam diferente e pelo fato de não empunharmos nenhuma bandeira política partidária ou religiosa. O preconceito e a intolerância são combatidos com a paciência e a vontade de defender a Vida”.

Boa parte dos novos diretores  do Movida jovens com menos de 30 anos. “Nossa juventude ajudará a diretoria a estar aberta a inovações criativas e a ouvir a sociedade contemporânea que não se conforma com a cultura de morte, sem nunca deixar de estar abertos aos conselhos dos mais experientes na luta”, conclui Fernando.

Mais informações: Movida – (fone: 85  3244 1094)

Fonte: Agência da Boa Noticia