Estatuto do Nascituro

Estatuto do Nascituro

Os tarados pela morte inventaram que “Estatuto do Nascituro” é “Bolsa Estupro”. É uma mentira asquerosa criada pelos exterminadores de fetos

O Brasil tem o Estatuto do Idoso, o Estatuto da Igualdade Racial, o estatuto sei lá do quê. Em 2007, os então deputados Luiz Bussuma e Miguel Martini propuseram o “Estatuto do Nascituro”, que protege a vida do feto. NÃO ACREDITEM NO LIXO MILITANTE QUE ESTÁ SENDO PUBLICADO POR AÍ. SEJAM CADA VEZ MAIS PRUDENTES E PRECAVIDOS. EXIJAM LER OS DOCUMENTOS ORIGINAIS. Em muitos nichos, o jornalismo está em fase terminal. Você pensa estar lendo uma reportagem e se trata, na verdade, de uma encomenda política de algum partido ou ONG. O Estatuto proposto está aqui. O texto foi aprovado nesta quarta na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara e segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça. A gritaria farisaica que se ouve, com repercussão imediata e bucéfala em certos setores da imprensa, impressiona. O site Avaaz de petições, cujo chefão é Pedro Abramovay (aquela que não quer “pequeno traficante” na cadeia…), já lidera os protestos. Tudo porque o estatuto estaria propondo o que, de maneira asquerosa, está sendo chamado de “bolsa estupro”. É puro despiste. Os fanáticos do aborto usam um artigo da lei, distorcem miseravelmente seu sentido, para poder dar continuidade à sua implacável perseguição ao feto e para conferir estatuto de humanismo a seu canto de morte. Antes que prossiga, uma informação.

Continue lendo...

Movida completa cinco anos ampliando ações em favor da vida e não violência

Ao completar cinco anos, o Movida – Movimento em Favor da Vida, associação sem fins lucrativos criada sediada em Fortaleza, soma êxitos como referência nacional entre os movimentos pró-vida e se prepara para novos desafios. Ampliar as ações está nos planos da entidade que apresenta duas novidades: Passa a se denominar Movida – Movimento Pela Vida e Não Violência e acaba de eleger nova diretoria. No último dia 11, o presidente Fernando Lobo passou a liderança da entidade para Karla Cruz Montenegro, que assume o cargo de coordenadora geral, de acordo com o novo estatuto. Ela tem 22 anos e é estudante do Curso de Direito da Universidade Federal do Ceará.

“Conheci o Movimento a partir do convite de um amigo. Ambos nos interessávamos pela causa pró-vida e não sabíamos como atuar”, conta. Karla diz que o Movida chamou sua atenção pelo caráter suprapartidário e suprarreligioso , “unindo pessoas diferentes numa mesma causa”. Para ela, Fortaleza se tornou uma das capitais “mais pró-vida do Brasil” desde que o Movida passou a ser mais atuante.

Continue lendo...